quarta-feira, 31 de outubro de 2012

Desta vez a culpa tem que ser dos jogadores...

Jogaram também: Gelson, Xandão e Betinho, sairam lesionados Boulahrouz e Arias.

Olhando para esta equipa inicial, facilmente percebemos que as despesas de ataque estariam entregues praticamente a 2 ou 3 jogadores, o que é muito pouco para uma equipa que precisava vencer este jogo. Alguns jogadores em determinados momentos de jogo, pareciam não querer ter a bola nos pés, nem ter que ser eles a pegar na "batuta". Incompreensivelmente, Adrien e Schaars escondiam-se invariavelmente do jogo, deixando o início da construção de jogo todo para Rinaudo, que muitas vezes abriu os braços por não ter ninguém por perto a quem entregar a bola, para jogar mais curto.

Não gostei de maneira nenhuma da atitude de muitos dos jogadores do Sporting nesta partida, jogadores que ganham dezenas de milhares de euros por mês, e aos quais se tem que exigir muito mais empenho e concentração no jogo. Prova disso, estão os últimos minutos de jogo, em que vimos toda a equipa empenhada a pressionar o adversário, ganhando "as primeiras e as segundas bolas" e quase conseguindo nos últimos instantes enfiar a bola na baliza. Não fora mais uma vez a "cegueira" do homem do apito, e talvez tivesse-mos mesmo ganho este jogo, ainda que não o merecesse-mos. E apenas 3 minutos de compensação? ... enfim...

Gostava de ser mosca...

Ás vezes gostava de ser uma mosca, que me permitisse entrar no "reino do leão", para perceber o porquê de algumas decisões:

Porque não jogam Capel, Carrillo, André Martins, Labyad e Elias? 
Porque Cédric não foi para o banco, pelo menos?
Porque andamos a alterar a equipa em todos os jogos?

Para quando uma equipa base, onde apenas mexemos por motivos de lesão, questões de abaixamento de forma ou rendimento, ou castigo, como qualquer equipa normal?

Um treinador que se preze, não pode andar a ceder a caprichos dos jogadores, não pode andar a mexer na equipa apenas para evitar amuos de jogadores que não são tão utilizados. Um treinador tem que por a jogar os melhores. E neste momento não é isso que tem vindo a acontecer e o resultado está à vista.

Esperemos todos que o belga Vercauteren, que pegou hoje no "leme deste barco completamente à deriva", encontre o rumo certo, identifique estes problemas e despache os jogadores que não estão empenhados em dar volta por cima, e apenas têm interesses pessoais.

segunda-feira, 29 de outubro de 2012

O dilema entre a formação ou o sucesso fácil...


Se na 1ª Liga tudo parece correr mal, na 2ª Liga as coisas correm de vento em popa com a nossa equipa de miúdos, na sua maioria Campeões em todos os escalões de formação, e estando assim habituados a ganhar. E isso nota-se a olhos vistos quando vemos esta equipa jogar, com a tranquilidade de quem sabe que mais tarde ou mais cedo consegue levar a água ao seu moinho.

Não sou no entanto da opinião que devemos neste momento começar já a lançar estes miúdos na equipa principal, salvo se houver necessidade disso. A ser feito, devia tê-lo sido no início da temporada, ou então fazendo uma aposta clara no próxima temporada, renovando contrato com aqueles que "não enganam", e colocando-os no plantel principal. Até porque a manter-se esta forma da equipa B, irão surgir propostas já em Janeiro de forma a que a renovação seja depois um problema para os cofres leoninos... Pelo menos 3 ou 4 jogadores deverão ser aposta clara já na próxima temporada, e também com algumas oportunidades já esta época para se mostrarem, aproveitando por exemplo os jogos da Taça da Liga. Bruma, Esgaio, Zezinho, Betinho, Pedro Mendes, etc, são alguns dos jogadores que "não enganam", e que só precisam de uma oportunidade para explodirem e tornarem-se casos sérios do futebol português, ganhando o Sporting e a nossa selecção com isso.

Mas para isso é preciso uma mudança de mentalidades no futebol português e sobretudo a revisão das leis que permitem que os clubes entrem em campo com a sua equipa repleta de estrangeiros, em alguns casos na sua totalidade. Isso não interessa a alguns clubes, como todos sabemos, pois se houvesse limitação de estrangeiros, o Sporting iria naturalmente ombrear e até se superiorizar aos seus mais directos rivais, tal é o potencial que detém na sua Academia, e que acaba por não só alimentar a nossa selecção, como também os próprios rivais.

Mas em Portugal poucos dão valor a isto, pois só é bom quem ganha, nem que o faça "atropelando" tudo e todos, nem que tenha atingido o topo do futebol utilizando métodos muito próximos dos duma Máfia italiana ou chinesa... Esses é que são os bons da fita... O nosso Sporting é o "patinho feio", os seus dirigentes incompetentes porque ao longo destes anos não alinharam neste tipo de "artimanhas" para atingir os seus fins, e quando o tentaram, foram logo "engolidos" pela tal Máfia instalada no futebol português, que só tem espaço para um Padrinho e alguns aprendizes...

O estado da equipa principal é o resultado de alguma incompetência própria, concordo, mas tem muito mais a ver com o facto de não conseguir ganhar mais vezes, mas muitas delas porque não nos deixaram, ou não tivemos a "passadeira" que todos os anos é estendida a outros. Só não vê, quem não quer ver.

sexta-feira, 26 de outubro de 2012

Novamente superior, novamente a perder...

O Videoton era "fraquinho" mas já leva 6 pontos...

Em Portugal continua a não haver respeito pelos adversários, continua a achar-se que somos os maiores e os outros são fracos. A liga belga é fraca, a liga turca é fraca, o grupo é "facílimo", e as nossas equipas têm obrigação de golear tudo e todos... Passa-se com a selecção e principalmente com os maiores clubes portugueses. É esta mentalidade que faz com que Portugal e as suas equipas, constantemente tenham surpresas desagradáveis.

As pessoas têm que perceber que no futebol a lógica é uma treta, dentro de campo é que se prova quem é o mais forte, e por vezes nem mostrando que se é mais forte se consegue as vitórias, pois a bola tem mesmo que entrar na baliza do adversário para se vencer as partidas.

É um facto que o Sporting esta temporada apenas conseguiu vencer 2 jogos, mas também é um facto que merecia ter ganho, ou pelo menos não ter perdido na maioria das vezes, em todas as partidas que disputou. Mas o que é certo é que a bola não entrou, umas vezes por culpa própria, outras vezes por mérito do adversário, ou então por manifesto azar. A eficácia dos adversários leoninos tem sido superior a 50%, com a eficácia dos leões a não chegar aos 5%, e isto dá que pensar...

Isto é um fenómeno que se tem vindo a acentuar, e não só no Sporting, onde ter muito mais posse de bola, mais ataques, mais remates, não é sinónimo de vitória. Ainda à poucos dias vimos o colosso Barça a ter 90% contra 10% de posse frente ao Celtic e a vencer apenas por 2-1, com os escoceses a espreitar a igualdade quase no final da partida. O mesmo se passa com a selecção portuguesa que domina os seus adversários, mas tem muitas dificuldades em marcar golos, acabando por sofrer.

Será que são os dirigentes que têm a culpa disto? Será que o Sporting tem jogado assim tão mal, que justifique esta série infindável de maus resultados? Será que os próprios sportinguistas, com as pressões que constantemente colocam aos seus jogadores, técnicos e dirigentes, mal aparecem os maus resultados, não têm também alguma culpa no cartório?

A culpa quanto a mim não é de A, B ou C, a culpa é do Universo Sporting no seu todo, que ao longo de todos estes anos ainda não percebeu que só com grande espírito de UNIÃO, é que alguma vez farão do Sporting um clube campeão, com maior regularidade, no que ao futebol diz respeito.

Este Sporting só precisa de paz e tranquilidade, mas também um pouco de sorte.


quinta-feira, 25 de outubro de 2012

Liga Europa pode libertar o leão!


Ainda com Oceano ao leme, o Sporting vai tentar vencer no terreno de uma equipa que não perde à 8 jogos, mas não tenho dúvidas que os jogadores leoninos irão dar uma boa resposta na Bélgica. Uma coisa me deixa descansado, o árbitro não é português.

Curioso o facto do Sporting ter escolhido precisamente o treinador que mais recentemente teve sucesso no clube belga, onde se sagrou campeão em 2011, e a quem os jogadores do clube anfitrião não poupam elogios.

Convocados de Oceano:

Guarda-redes: Rui Patrício e Marcelo Boeck.
Defesas: Cédric, Xandão, Bolahrouz, Pranjic, Rojo e Ínsua.
Médios: Adrien Silva, Elias, Schaars, Capel, Rinaudo, André Martins e Gelson.
Avançados: Jeffren, Betinho, Wolfswinkel e Viola.


Destaque para a presença de Betinho na convocatória e para as ausências por opção técnica e também por razões de ordem física de Izmailov, Labyad e Carrillo.

Entretanto no reino do leão nem tudo anda mal, pois os nossos jovens continuam em grande, com a equipa B a vencer fora o Santa Clara por 0-2 (golos de Rúbio e Esgaio) e a assumir a liderança isolada na 2ª Liga, e os sub19 a liderar o seu grupo da NextGen, depois de venceram o PSV por 4-2.

Golos: Ponde 18',  Mane 57', Medeiros 73'  e  Veloso 90'
Estranho é o facto de estas boas notícias não serem devidamente destacadas nos principais "pasquins" nacionais e também alguns blogs da blogosfera leonina...


quarta-feira, 24 de outubro de 2012

Oficial: Vercauteren é o treinador escolhido

Franky Vercauteren, 55 anos e natural da Bélgica
Depois de tanta especulação na imprensa e convulsão no reino do leão, eis que chegou o novo treinador do Sporting. O belga Franky Vercauteren, que lembro-me bem de ver jogar nos anos 80, e com algum sucesso enquanto treinador (foi campeão da Bélgica com o Anderlecht e com o Genk, onde também venceu a Super-taça belga), é o novo treinador do Sporting, tendo a SAD do Sporting já confirmado à CMVM a contratação do belga até Junho de 2013, iniciando funções a 30 de Outubro.

A qualidade deste técnico não está em causa, o que me preocupa é se terá tranquilidade para trabalhar neste Sporting em permanente convulsão. Positivo o facto de apenas ter assinado até ao final da presente temporada.

Vercauteren tem como sistema preferencial o 4-3-3, e é adepto de um futebol vertical e de ataque, dando preferência ás alas (aí o Sporting está bem servido). Tem a fama de manter um "balneário" unido e coeso e de treinar até à exaustão o futebol que pretende para as suas equipas.  Agora há que dar tempo a este treinador e não entrar em paranóia assim que saia um ou outro mau resultado.

15 dias passaram e muitas novidades...

Depois de 15 dias sem escrever aqui no blog, não podia deixar de o fazer hoje, dada a quantidade de novidades que surgiram nos últimos dias.

Moreirense 3-2 Sporting (após prolongamento) | Golos: Rinaudo e Ricky
A começar pelo afastamento da Taça de Portugal, onde mais uma vez como se não bastassem os nossos problemas internos, fomos mais uma vez prejudicados pelo homem do apito, que simplesmente não quis marcar uma grande penalidade mais do que evidente aos 90' sobre Wolfswinkel. Não me interessa se o Moreirense merecia ou não vitória, não me interessa se o Sporting teve ou não azar ou sorte, o facto é que esse erro pode ter afastado o Sporting da Taça, caso fosse concretizada por "Iceman". O facto da equipa da casa ter terminado os 90 minutos (pasme-se) apenas com 7 faltas cometidas (eu diria assinaladas), contra 18 do Sporting, também é motivo de reflexão. Isto nem no futsal acontece...

Todos nós sabemos bem que são as vitórias que trazem tranquilidade, e se elas aparecem todos os problemas são esquecidos, os jogadores já passam a ser os melhores, bem como os seus técnicos. Neste momento tenho a certeza que existe muita gente interessada no "afundamento" do Sporting, e só tenho pena que sejam os próprios sportinguistas (nem todos diga-se) a ajudar à festa. Os árbitros não têm qualquer tipo de problema em prejudicar o leão neste momento, pois sabem que a culpa vai cair sobre o momento leonino, e os seus erros vão ser esquecidos. O Sporting fez um bom jogo em Moreira de Cónegos e não merecia sair da Taça.


Duque e Freitas abandonam
Em consequência disso, ou talvez não, eis que Godinho Lopes resolveu fazer uma limpeza na estrutura que ele próprio criou. Luís Duque e Carlos Freitas foram afastados, reuniram-se os Corpos Sociais do clube e chegaram a uma solução que dizem ser hoje apresentada no Conselho Leonino.





Paulo Farinha Alves
Entretanto e como o Sporting é um clube "completamente transparente" já serão conhecidas algumas das eventuais medidas, com  Paulo Farinha Alves (advogado) para o lugar de Carlos Freitas e o próprio presidente a assumir as funções de Luís Duque, o que a mim não me incomoda assim tanto, porque acho que eram demasiados "homens fortes" a mandar no futebol do Sporting, onde acho que deveria ser apenas uma pessoa, onde Couceiro seria uma boa opção, acumulando as funções de treinador (pelos visto não houve acordo).

... 

quarta-feira, 10 de outubro de 2012

REVOLUCIONÁRIOS, NÃO OBRIGADO!

Autênticos Papagaios
Alguns ditos sportinguistas continuam a não entender quais são os momentos para contestar, e quais são os momentos para estar calados. O Sporting já tem tantos problemas, que não precisa destas pessoas para colocar ainda mais pressão sobre o clube e consequentemente a sua equipa de futebol, que no fundo é o "motor principal" do clube.

Os dirigentes são presos por ter cão, e presos por não ter. Se contrata é porque contrata, se despede é porque despede, se investe é porque investe, se não investe é porque não investe. Todos dão opinião e ninguém tem razão. Aposto que se tivessem a oportunidade de assumir os destinos do clube, fugiriam às primeiras contrariedades.

Existe um momento de tempos a tempos, que serve para os sportinguistas escolherem quem querem para os destinos do clube: as eleições, e as pessoas escolhidas têm que ser apoiadas, e não serem colocadas em causa constantemente apenas porque os resultados da equipa de futebol não são os melhores, e a equipa não consegue ganhar títulos. Qualquer que seja a pessoa que assumir o cargo de dirigente leonino, por muito competente que seja, vai estar sempre sujeita à subjectividade e imprevisibilidade dos resultados de um jogo de futebol. Isto tem que acabar de uma vez por todas.

O caminho estava a ser feito, e bem feito, com a equipa principal a assentar sobre jogadores provenientes da formação, e portugueses, e com o Sporting a conquistar títulos. Não o de campeão nacional (porque aí não dependemos só de nós, como todos bem sabemos...), mas sim o orgulho de entrar em campo com 8 ou mais jogadores formados no clube, portugueses na maioria, e com presenças assíduas na Liga dos Campeões.

Já chegam os abutres dos media
Mas para os "sábios" e "exigentes" sportinguistas (nem todos diga-se, mas uma grande maioria), isto não chegava, havia que mudar para ser Campeão Nacional a qualquer custo, mesmo sabendo que não lutava com as mesmas armas que os seus rivais, e mesmo sabendo que o clube não estava em situação financeira para esbanjar euros em nomes sonantes, encharcando a equipa de estrangeiros de qualidade igual ou pior do que os nossos jovens da Academia.

Os que exigiram a saída de Paulo Bento, cujo nome foi enxovalhado enquanto treinador do Sporting, mas cujo trabalho hoje é reconhecido por todos (para mim o melhor e mais consistente dos últimos 30 anos), são para mim os grandes responsáveis pela actual situação da equipa de futebol. 

Estes "revolucionários" que acham que é com violência e ameaças que vão conseguir resolver os problemas do Sporting, estão aos poucos a destruir o clube. Quaisquer que sejam as pessoas a assumir os destinos do clube, vão sempre contar com estes energúmenos, que ainda não perceberam o mal que fazem ao clube.

A lista de Godinho Lopes não era a minha preferida nas eleições, mas a partir do momento que assumiu os destinos do Clube, passou a ser o meu presidente. Embora também não tenha concordado com algumas opções, serei sempre incapaz de ir para o Estádio assobiar este ou aquele, fazer esperas ás pessoas, muitas vezes baseando-se em rumores... enfim!

A última coisa que o Clube precisa neste momento, é de uma crise directiva.

TOMEM JUÍZO!
Façam-se sócios, paguem as cotas e candidatem-se nas próximas eleições.

terça-feira, 9 de outubro de 2012

Que tipo de treinador escolher?

Mais importante do que as características mais ofensivas ou defensivas, o carácter, a personalidade e claro, a competência, são factores essenciais. O novo Mister tem que ser um "duro". Forte personalidade, e capacidade para aguentar a pressão enorme a que vai estar sujeito, ao assumir esta equipa no estado em que se encontra.

Portugueses só veria com bons olhos 2 ou 3: Mourinho (de todo impossível), Paulo Bento (muito pouco provável) ou então José Couceiro, que quanto a mim deveria ter ficado, e é claramente um treinador anti-crise, embora com esta direcção seria quase impensável o seu regresso, depois da sua dispensa pela mesma.

Parece que a intenção, é mesmo contratar um estrangeiro, de provas dadas, ou seja, com títulos no currículo e competência inquestionável.

Nomes que circulam por aí:


Scolari
Seria uma óptima solução se o objectivo fosse "abanar" o balneário do Sporting e a própria estrutura do futebol leonino, bem como para exigir respeito ao Sporting, no que ás instâncias desportivas, FPF e LIGA, e a própria imprensa, diz respeito. Da mesma forma que conseguiu unir todos os portugueses em torno da selecção, talvez conseguisse trazer união aos sportinguistas. A minha dúvida prende-se com o facto se seria uma boa solução a médio/longo prazo, pois em termo de qualidade futebolística, as suas equipas não apresentam grandes resultados. Se a bola entrasse, seria maravilhoso, se não, seria um desastre.



Luis Enrique
Penso ser demasiado jovem para enfrentar aquilo que o espera em Alvalade. Não duvido das qualidades técnicas do ex-craque do Barcelona, mas não me parece ser o que o Sporting precisa neste momento.






Ernesto Valverde
Foi finalista da Taça UEFA pelo Espanhol (2006/2007), e teve maior sucesso, principalmente no campeonato grego, onde foi campeão por 3 vezes (duas consecutivas), ao serviço do Olimpyacos, e conquistou duas taças, fazendo a dobradinha em 2011/2012. Penso encaixar no perfil de treinador que pode interessar aos leões, e que está ao alcance dos cofres leoninos. É um treinador disciplinador e pragmático, mas que vai precisar de tempo, para colocar o seu cunho pessoal na equipa do Sporting. Será uma boa opção para um projecto a médio prazo, sem descurar o momento actual.




Luís Fernández
De todos os nomes que têm circulado por aí, este é aquele que menos me agrada. A sua personalidade um pouco conflituosa (ferve em pouca água), não seria compatível com o estado de coisas actual do Sporting e do futebol português em geral. Não teve grande sucesso nos clubes que treinou, destacando-se apenas um período de 2/3 anos em que treinou o Paris SG, e em que a equipa praticava um bom futebol. Não me parece que fosse grande solução para o Sporting. Entre este e ficar lá o Oceano, prefiro o Oceano.




Co Adriaanse
Embora goste da forma como coloca as suas equipas e jogar, viradas para o ataque, desde que saiu do Porto, não mais se conseguiu impor em nenhum outro clube. O facto de ter fortes ligações ao clube de Pinto da Costa, também constitui um grande handicap. Ao mínimo contacto com o clube azul e branco, iria causar grande mal estar em Alvalade.










Bert van Marwijk
Esta seria também uma boa opção, embora que tivesse que contar com grande dose de paciência por parte dos adeptos e dos dirigentes leoninos, pois precisaria de tempo para colocar em prática todo o seu reconhecido trabalho e competência. A "má" prestação no último Europeu da selecção holandesa orientada por si, teve muito mais a ver com a dificuldade de passar num grupo onde havia Portugal e Alemanha.





Em suma, qualquer que seja a escolha do Sporting, o seu sucesso dependerá da forma como forem evoluindo os resultados e a consistência com que a equipa se for apresentando. Os resultados ditarão sempre o sucesso de qualquer treinador que chegar ao Sporting.

Há muita coisa que tem que mudar, e não é só dentro do Sporting, mas sim no futebol português em geral. Se não os vencedores irão continuar a ser sempre os mesmos, e não há presidente ou treinador que se aguente no Sporting.

Com tanta "desvantagem" era impossível

Nervosismo inicial, confiança portista e campo inclinado, foram alguns dos factores que fizeram com que a missão do Sporting no Dragão fosse quase impossível.

Oceano colocou em campo uma equipa equilibrada, apenas não percebendo eu o porquê de Capel ter ficado de fora dos convocados, a não ser que estivesse condicionado. Carrillo e Rojo foram para mim elementos que não aguentaram a pressão de jogar um clássico como este, tendo o argentino feito o pior jogo que lhe vi fazer desde que chegou a Alvalade. Talvez ninguém lhe tenha dito que aquele campo está sempre "inclinado" para o lado azul e branco, e que tinha que se conter, acontecesse o que acontecesse.
A forma como Rojo faz aquelas faltas sucessivas, é claramente de alguém que ficou perturbado com o que se estava a passar dentro de campo, porque não foram só os penalties, foi toda uma arbitragem muito habilidosa, de um árbitro que eu até tinha alguma estima. Eles sabem quem não podem prejudicar, se querem ter "tranquilidade" e sucesso na sua carreira. Na dúvida, foi sempre a favor deles.


Se formos analisar o jogo pela estatística, maior caudal ofensivo, etc, o Porto seria o justo vencedor. Mas então por esse prisma, o Sporting teria que ter vencido as primeiras 5 jornadas, pois foi sempre superior aos seus adversários, e com um pouco mais de eficácia hoje se calhar veríamos a época com outros olhos. Mas o futebol é isto mesmo, eficácia, competência, mas também alguma sorte ou azar. Uma exibição exactamente igual com golos e vitória, é interpretada de forma diferente se a bola não entrar na baliza, por vezes por escassos centímetros  Com melhor eficácia dos jogadores do Sporting em jogos anteriores, e Sá Pinto seria neste momento o treinador do Sporting.

No período em que o Sporting parecia poder ameaçar a vitória dos Dragões, que pareciam adormecidos, e em que se verificou um ascendente leonino, eis que apareceu o Sr. Sousa a inventar e a arrumar de vez com os leões, sem dó nem misericórdia, um pouco à semelhança do que aconteceu na temporada passada, no mesmo estádio, com o Sr. Proença.

O Sporting tem de uma vez por todas, que abraçar um projecto a médio prazo, escolhendo pessoas de competência reconhecida, ás quais lhes seja dado tempo suficiente para desenvolver as suas ideias e formar uma equipa com bases sólidas, que não se desmorone a qualquer circunstância negativa que vá surgindo.

Os sócios e adeptos sportinguistas têm aqui um papel fundamental, pois isto apenas depende deles, pois são eles que escolhem as pessoas que querem ver à frente dos destinos do clube. O problema é que qualquer que seja a lista de pessoas que ganhe as eleições, é contestada mal os resultados menos bons começam a aparecer, independentemente se no passado essas pessoas ganharam e mostraram competência. Se são competentes, não deixaram de o ser se a bola não entra na baliza. Ninguém é perfeito, nunca iremos conseguir ter um corpo directivo perfeito, e rejeito ter ao serviço do clube, alguma vez, pessoas do calibre do presidente do clube que quase tudo ganhou nos últimos anos. Por vezes a linha entre o sucesso e o insucesso, é muito ténue, e todos os factores contam, e se é certo que o nosso clube conquistou poucos títulos nos últimos anos, também é verdade que não conquistou mais alguns porque não o deixaram. Os outros também cometem muitos erros, só que são compensados das formas que todos nós sabemos. Depois a vitórias puxam vitórias, e as derrotas causam instabilidade. Quem ganha é que é bom, quem perde é incompetente, e esquece-se de todo o processo que conduziu ás vitórias. Eu rejeito esta forma de pensar.

Se o Sporting está como está, a culpa é também dos seus sócios e adeptos, que teimam em andar sempre em guerras e divisões entre eles, em vez de se unirem de uma vez por todas num só objectivo. Principalmente desde da época 2002/2003, e a inauguração do novo estádio, que essa divisão se tem acentuado, onde até a maior claque e para muitos a melhor de Portugal, se dividiu. 

Não me revejo nesta nova forma de "sportinguismo", onde todos "ralham" e ninguém tem razão. As sucessivas direcções que têm passado pelo Sporting, foram eleitas pelos sportinguistas. Se querem outro rumo para o clube, façam-se sócios, paguem as cotas e nas eleições mostrem a vossa insatisfação. O Sporting não pode andar sempre neste clima de divisão, sob pena de caminhar inevitavelmente para o "abismo". 

sexta-feira, 5 de outubro de 2012

Oficial: Sai Sá Pinto entra Oceano

Oceano é o homem que se segue...

Oceano da Cruz, é o homem escolhido, pelo menos para já, e de forma interina, para ficar à frente da equipa principal de futebol do Sporting. Apesar de ter sido um grande fã deste excelente profissional do Sporting enquanto jogador, não acredito que fique até ao final da época, e acho que será apenas de forma temporária, até ser encontrado um novo treinador.

Sá Pinto foi ainda convidado para continuar na estrutura leonina, especulando-se se será para treinador da equipa B, embora aqui também não acredito que se concretize. Vamos aguardar...

Com ou sem Sá Pinto, é necessário reagir !

Sou contra as trocas de treinador mal os maus resultados aparecem, até porque por vezes a linha entre o sucesso e a derrota é demasiado ténue. Uma bola uns centímetros mais ao lado ou um erro de terceiros, pode ditar o resultado final de um jogo.

É certo que a situação começa a ficar preocupante, embora ainda nada esteja perdido, mas o problema é que o facto do plantel do Sporting ser este ano tão equilibrado, com muita concorrência para várias posições do terreno, fazem com que só seja possível de gerir mediante bons resultados.

Num plantel com estas características, é muito complicado formar um onze base, deixando de fora jogadores que também eles teriam qualidade para jogar, sendo que as emoções e as reacções dos mesmos em relação à sua condição de suplentes, são diferentes mediante uma vitória ou uma derrota. Nós próprios, temos dificuldade em encontrar um onze para cada jogo, e deixar de fora jogadores como Elias, Schaars ou Insúa, é um autêntico pecado...

Existem jogadores no Sporting, que a meu ver, não têm ainda maturidade suficiente para serem titulares indiscutíveis, como Carrillo, Viola ou Labyad, por exemplo. Muito menos jogando em simultâneo numa fase em que o Sporting necessita de vitórias, nem que seja contra o "Cascalheira". Até porque ainda há Cédric e Rojo, jogadores também eles muito jovens, e pouco habituados à pressão de jogar num grande como o Sporting.

Está na hora de colocar os jogadores mais experientes em campo. Elias, Izmailov, Schaars e Rinaudo, têm que jogar no Dragão, com aquele que considero ser de longe o melhor onze do Sporting, apenas com a dúvida entre Xandão ou Boulahrouz:

Este seria o meu onze...
É claro, lá está, podem haver opiniões diferentes, mas não havendo castigos nem lesionados, este onze jogadores têm que jogar, com Adrien e André Martins a serem opções válidas, mas secundárias, para a zona central, e Carrillo e Labyad, boas opções para as alas. Penso que o Sporting tem que esquecer de uma vez por todas a questão do "nº10", até porque para mim, nesta fase, a consistência no meio campo é mais importante, juntamente com os aspectos defensivos, que foram descurados nos últimos jogos. O Sporting não estava a jogar "bonito", mas jogava de forma consistente, apenas faltando eficácia. Com as alterações nos últimos jogos, a equipa tornou-se completamente anárquica. Prefiro a consistência.



Resultado INACREDITÁVEL, mas que tem justificação

Não há equipa que resista a tantas alterações em jogos consecutivos, alterações quer tácticas, quer de uma quantidade significativa de jogadores que há bem pouco tempo eram nucleares.
Sinceramente não sei o que se passa na cabeça de Sá Pinto e seus pares, mas algo de muito estranho se passa no "balneário" leonino. Não vi o jogo em directo, mas tive a oportunidade de o ver depois, e durante todo o tempo de jogo tentei perceber qual o posicionamento de alguns jogadores, e juro que não percebi se estávamos num 4-4-2, num 4-1-3-2 ou num 4-1-4-1, tal a indisciplina táctica de alguns jogadores do Sporting. Jeffren e Labyad pareceram-me sempre andar completamente aos papéis, obrigando Izmailov a fazer compensações, principalmente quando os leões perdiam a bola. A desorganização do Sporting ficou visível aos olhos de toda a gente, ao longo de toda a primeira parte, e como se não bastasse o adversário voltou a ser tremendamente eficaz, aproveitando praticamente todos erros graves dos jogadores do Sporting. Rinaudo parecia um "bombeiro" desesperado, procurando apagar todos os fogos, prejudicando a sua própria actuação.
Schaars veio trazer cérebro a esta equipa do Sporting na 2ª parte, e atenuou um pouco aquilo que poderia ter sido um autêntico "cataclismo"... Schaars, Elias e Izmailov, são jogadores que têm que jogar neste Sporting. Não podendo contar com o holandês, Adrien também tem que ser opção, pois são jogadores que trazem organização e liderança a um sector que é nevrálgico para qualquer equipa, o meio-campo. Sá Pinto cedeu à onda de críticas acerca da não utilização de alguns jogadores mais ofensivos, e o resultado está à vista. Numa equipa que está ainda em fase embrionária, tem que se privilegiar a organização defensiva primeiro, encontrar um "onze" base dentro do sistema escolhido e só então ir introduzindo aos poucos um ou outro elemento novo na equipa e nos seus processos ofensivos.

Paciência e tempo, são precisos para se construir uma equipa organizada e vencedora, tempo esse que desde Paulo Bento, ainda não foi dado a outro treinador. PB fez muito, com muito pouco, mas não foi reconhecido por isso... sempre disse que a sua saída seria muito pior... já vamos em 3 épocas de agonia...

O tempo para Sá Pinto esgotou-se, no momento em que cedeu ás pressões, querendo agradar a todos, procurando dar minutos a todos os jogadores do plantel, e fazendo também a vontade de alguma massa adepta leonina para a utilização de certos jogadores. Só podem jogar onze de cada vez, e Sá Pinto neste momento ainda não conseguiu encontrar o seu "onze", tem dúvidas acerca do sistema que quer utilizar, e parece-me também ter perdido o controlo do balneário, embora os jogadores tentem negar os problemas que parecem mais do que evidentes.

Só há uma saída neste momento, e por muito que me custe porque sou contra elas, a "chicotada psicológica", a escolha de um treinador de créditos firmados, disciplinador, e deixarmos de uma vez por todas de experiências.

As novidades deverão estar para breve...


Ontem fomos brindados com 2 novos jogadores

Cristiano Piccini (Ex-Bétis) Piccini  é o Lateral direito, moderno, que gosta de subir pela sua faixa apoiando o ataque, e qu...