segunda-feira, 31 de outubro de 2011

Vitória da melhor equipa em campo

Onze inicial: Patrício, J.Pereira, Onyewu, Carriço, Polga, Insúa, Rinaudo, Schaars, Elias, Matias, Capel e Wolfswinkel.

Já nem me lembro (nem quero lembrar), do último jogo que o Sporting perdeu. Hoje foi a primeira vez esta época, que tive a sensação de sermos tratados, pela equipa de arbitragem, da mesmo forma que os nossos principais rivais, embora tenham ainda havido, aqui e ali, alguns erros de pormenor que ainda nos distinguem dos rivais, como a amostragem do cartão amarelo a Rinaudo (com aquele critério o Feirense teria terminado com 8 ou 9). O argentino continua a ser alvo preferencial dos árbitros, sendo ele muitas vezes vítima de entradas "bárbaras" que ficam impunes. Temo a sua utilização nos jogos com os nossos rivais na luta pelo título, porque tenho quase a certeza que não acabará esses jogos.

Este jogo fica também marcado pelo estranho abandono de Jeffren, sem dar qualquer satisfação aos responsáveis leoninos. Começo a duvidar da sua capacidade mental para lidar com a sua delicada situação, após recaída da lesão que o tem afastado dos relvados. Parece-me ser um jogador de inegável qualidade, mas com dificuldade em lidar com situações de maior pressão psicológica. Espero estar enganado, e que não passe apenas de um momento menos bom, que pode até envolver problemas pessoais, alheios ao futebol. Ficou-me na retina uma imagem do jogador que passou ao intervalo do jogo, quando este aquecia, com um semblante carregado, parecendo algo perturbado...

Quanto ao jogo, o Sporting revela cada vez mais ser uma equipa consistente, organizada, que raramente perde o controlo do jogo, e que a espaços pratica um futebol empolgante, a toda a largura do terreno, utilizando mais o flanco esquerdo onde mora Capel, que continua a ser a principal arma desequilibradora desta equipa de Domingos, e com Schaars a impor-se cada vez mais como um autêntico "Maestro" da equipa, um jogador que me está a encher as medidas, e que foi neste jogo, pelo menos para mim, o melhor em campo.

Penso que mesmo sem a expulsão, o Sporting acabaria por vencer este jogo, com maior ou menor dificuldade, pois o Feirense apenas conseguia incomodar o Sporting em lances de bola parada, ou com tentativas frustradas de remates de meia distância. Houve apenas um pequeno período na 1ª parte, em que o Feirense teve uma pequena supremacia. A vitória não oferece qualquer discussão, bem como os dois lances de grande penalidade a nosso favor, dos quais apenas um foi assinalado.

É um prazer ver este Sporting, que começa já a deixar muita gente preocupada...

segunda-feira, 24 de outubro de 2011

SPORTING continua a calar muita gente


Hoje, e depois deste estrondoso resultado, tive o prazer de ver alguns dos habituais comentadores radiofónicos e televisivos, a tropeçar nas palavras, a gaguejar , na hora de analisar o momento do nosso Sporting, que os mesmos tanto criticaram, desde os jogadores de qualidade duvidosa contratados pelo clube, ás dúvidas acerca da capacidade do treinador em conduzir este Sporting ás vitórias. Pois hoje vi algumas dessas pessoas, algumas mesmo ditas "sportinguistas", engolir um grande sapo.

Pois é meus amigos, os reforços são mesmo reforços, e CAPEL e WOLFSWINKEL, têm sido os expoentes máximos nestes últimos jogos dos leões. Mas não esquecer SHAARS, cada vez mais o patrão do meio-campo e um verdadeiro líder na equipa, ELIAS a fazer jus ao estatuto de internacional brasileiro, RINAUDO, o espelho da raça e crer leoninos, ONYEWU, depois de um mau início, ganhou o seu lugar e em condições normais é titular, INSÚA pegou de estaca e é para mim o melhor lateral esquerdo a atuar na Liga Portuguesa, CARRILLO, um jovem de 19 anos com um futebol apaixonante e criativo também vai conquistando o seu espaço, RUBIO já deu provas de qualidade, mas está "tapado" pelo nº9 holandês e agora BOJINOV a facturar 2 golos, que lhe podem dar confiança para o futuro. E vem aí JEFFREN...

E se aqueles 2 golos limpinhos com Olhanenser e Marítimo têm sido validados?

Certo é que o Sporting está mesmo de volta, e só os protagonistas do costume têm o poder para parar esta onda verde e branca.

Sporting apurado para a fase seguinte


Quando ainda faltam 3 jornadas para o final desta fase de grupos, o Sporting é a única equipa já apurada para os 16 avos de final, nesta competição. Facto possível devido à conjugação de resultados dos adversários, que somam 2 pontos cada, contra 7 do Sporting. O apuramento foi conseguido, agora há que assegurar o 1º lugar, para evitar as equipas teóricamente mais fortes.


quarta-feira, 19 de outubro de 2011

Em Famalicão, mandou o Leão


Estou de volta aos comentários, o facto de estar a orientar 3 equipas (2 escalões jovens e uma sénior), tem-me retirado tempo para vir aqui mandar os meus "bitaites" acerca do nosso grandioso clube.

E vão 7 com esta, o nº de vitórias consecutivas do Sporting (aquele clube que já estaria precocemente arrumado para esta época, e que apenas tinha contratado "flops"). Como as coisas mudam num curto espaço de tempo... Onyewu já é um excelente central, Polga até já é indispensável, Schaars até dá uns toques, e pasme-se, "o holandês com nome difícil de pronunciar" é mesmo goleador e 5 Milhões até foi um excelente negócio.

Neste jogo de Taça, Wolfswinkel voltou a mostrar a sua veia goleadora, sobressaindo aquela que é a sua principal arma, variedade de recursos na hora de atirar à baliza. Desta vez mostrou frieza na marcação  do penalty (10 jogos depois... finalmente um penaltizito...), e ainda dotes no jogo aéreo, com o golo de cabeça. É sem sombra de dúvidas um avançado completo, e o Sporting contratou um verdadeiro diamante.

Quanto ao jogo, não tenho muito a dizer, até porque foi um mau jogo, de fraca qualidade, onde se safaram as poucas oportunidades de golo, com algumas boas jogadas pelo meio. A passagem de Capel para o seu lado preferencial na 2ª parte, também contribuiu para a melhoria do Sporting. Notou-se claramente a falta de Elias e Rinaudo no meio-campo, pela agressividade e intensidade que imprimem ao jogo. De qualquer forma há mérito também do Famalicão, que foi uma equipa bem organizada e que dificultou ao máximo a tarefa do Sporting, chegando mesmo a dar a ideia que poderia chegar primeiro ao golo, no início da 2ª parte, onde o Sporting entrou com uma dupla de centrais de recurso, com Evaldo a assumir esse papel ao lado de Rodriguez. Valeu o penalty ganho por Matias (continua pouco consistente e sem alegria nenhuma a jogar) e convertido superiormente por Ricky van GOL. A expulsão logo a seguir do homem do Famalicão arrumou com a eliminatória e descansou os sportinguistas. O segundo golo veio com naturalidade, depois de um excelente cruzamento de Pereirinha a encontrar a cabeça de, quem mais poderia ser, Wolfswinkel. Suada, mas justa esta vitória.




Ganhou a equipa mais forte, com excelente réplica da equipa da casa

domingo, 2 de outubro de 2011

Mas existem dois livros de regras diferentes?

CAPEL marcou um golo fantástico, e já merecia um golito

Apostei com um amigo que seria Bruno Paixão o árbitro nomeado para este jogo de risco para o Sporting. Não só não me enganei, como se confirmou a tendência desta personagem muito pouco credível, de expulsar jogadores do Sporting, utilizando um critério curtíssimo para entradas mais duras dos leões. Noutras alturas, essas expulsões custaram pontos e consequentemente títulos, ao Sporting. Desta vez, o protagonista do costume fez questão de por o Sporting a jeito, para que o adversário pudesse exercer domínio e quem sabe dar a volta ao marcador. De forma heróica, os nossos jogadores evitaram mais uma previsível perca de pontos, lutando de forma incansável para evitar o golo do Vitória, sendo que até ao intervalo, e mesmo 10 contra 12, fomos superiores ao adversário. 

Pelo meio, ficaram vários cartões por mostrar, alguns da mesma cor do que foi mostrado a Rinaudo, mas aqui o critério já foi mais largo. Não me espantaria que tivesse assinalado grande penalidade naquele lance entre J.Pereira e Toscano na área, o que tornaria esta arbitragem ainda mais escandalosa.

Este Sporting também sabe sofrer

Insúa foi expulso por acumulação de amarelos

Depois de uma semana de ausência de "postas" aqui no blog, aqui fica a minha análise a este jogo, onde o Sporting demonstrou que está com uma mentalidade vencedora e ambiciosa, completamente diferente do passado bem recente. Os jogadores mostram confiança, logo tornando tudo mais simples e as coisas saem naturalmente, e até parece fácil.

CAPEL continua a jogar muito e bom futebol, e o que mais me impressiona é a sua capacidade física, para aguentar aquele ritmo alucinante durante os 90 minutos, arranjando ainda fôlego para fazer algumas recuperações de bola. Alucinante é mesmo o termo.

Puro Sangue Holandês
WOLFSWINKEL é já um caso sério, não só para os sportinguistas, mas também para muita gente ligada ao mundo do futebol, nacional  e internacional, tal a facilidade com que este jovem avançado tem enfiado a bola no fundo das balizas dos adversários. E o que espanta, não é só os golos que faz, mas também a qualidade com que os faz, as oportunidades que cria e o jogo que possibilita aos colegas. A continuar assim por muito tempo, não vai ser fácil segurá-lo em Portugal. Está encontrado o ponta-de-lança que tanto o Sporting tem procurado estes últimos anos.

Gostei também da exibição de POLGA, sempre muito certinho, aparecendo muitas vezes no ataque, sem eficácia, mas a fazer moça na defesa da Lázio, criando desequilíbrios defensivos aos italianos. Defensivamente esteve quase sempre bem, sem comprometer, muito bem colocado, evitando ficar em situações de 1x1 sempre comprometedoras dada a sua falta de velocidade compreensível. Muitos sportinguistas pediram a sua saída, mas eu sempre disse que ele poderia ser bastante útil ainda ao Sporting. Uma grande equipa faz-se também com estes veteranos, que vêm contra-balançar com o excesso de irreverência e juventude de outros. Muito bem o capitão Polga.

A par de Polga, ONYEWU voltou a mostrar o jeito que dá ter um jogador daquela envergadura, mesmo sendo um pouco tosco com os pés, mas factor esse que pode ser compensado com um central rápido e bom a sair a jogar com a bola controlada. Para mim, é titular indiscutível neste momento.

SCHAARS e RINAUDO foram uns senhores no meio campo, com o Argentino a mostrar toda a sua raça na recuperação de bolas e não só, e o Holandês a funcionar como um relógio Suíço, sempre na altura certa, há hora exacta, com passes cirúrgicos e cortes decisivos, nas transições.

Os laterais JOÃO PEREIRA e INSÚA, cumpriram a sua missão, com o Argentino a marcar o golo decisivo ainda antes do intervalo, com aquele excelente remate de ressaca. Continua com a estrelinha o lateral esquerdo do Sporting, e não fora aquele amarelo completamente desnecessário e despropositado (nós não podemos mesmo facilitar em nada, porque a nós não perdoam mesmo nada), e a exibição da equipa poderia ter sido bem diferente na 2ª parte, onde o futebol jogado não foi o melhor, com o Sporting a ver-se obrigado e defender e a sofrer a bom sofrer em alguns lances, com alguma sorte até. Também já merecíamos ter alguma sorte, que é coisa que nos têm faltado ultimamente.

PATRÍCIO goste-se ou não se goste, continua a ser decisivo em alguns jogos como este, por exemplo, e merece estar na baliza, quer do Sporting, quer da selecção. Nos dias que correm, é muito complicado arranjar um guarda-redes que reúna todas as qualidades e mais algumas.

Ontem fomos brindados com 2 novos jogadores

Cristiano Piccini (Ex-Bétis) Piccini  é o Lateral direito, moderno, que gosta de subir pela sua faixa apoiando o ataque, e qu...